quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Eduardo Brito para Presidente da Federação do PS Guarda

Há cerca de dois anos e meio disputei a presidência da concelhia de Seia com Eduardo Brito, porque entendia que este não devia ser Presidente da Câmara e do Partido, simultaneamente, condicionando muito a actividade política local. Os militantes de Seia inscritos nessa altura deram a vitória a EB e eu perdi por pouco. Passados dois anos, não me recandidatei e justifiquei-o na altura porquê, mas também não integrei a lista do Presidente, pelas mesmas razões invocadas anteriormente.
Feita esta declaração de interesse, apraz-me dizer que no momento actual em que Eduardo Brito se candidata à Federação do PS da Guarda lhe darei o meu modesto contributo pessoal.
Faço-o de forma convicta e serena, na medida em que acredito que o autarca de Seia é a pessoa certa para ajudar o Distrito da Guarda a sair da crise em que se encontra, além de admirar a coragem de tal candidatura. Ou seja, Eduardo Brito dispõe-se a por a sua experiência enquanto autarca com cerca de 30 anos de carreira e muitas provas dadas, ao serviço do Distrito.
Com este gesto, tem dado igualmente sinais de que não se recandidatará à Presidência da Câmara de Seia, permitindo a tal abertura que nestes últimos anos se impõe e reclama por cá.
A ser assim, e fazendo fé de que neste mês de reentre política, Eduardo Brito fará uma comunicação importante às pessoas do concelho de Seia, julgo que há razões ainda mais do que suficientes para redobrar o empenhamento na sua corrida à Presidência da Federação.
Depois de ter posto muita da sua capacidade de trabalho, experiência e conhecimento ao serviço do concelho de Seia, está agora disponível, para a Guarda. Tem feito muito por Seia e quer agora subir um degrau e fazer pelo Distrito. E ao anunciar a sua intenção, contribuiu desde logo para enriquecer o debate da campanha, onde são indispensáveis ideias prática e objectivas para melhorar as condições de vida das nossas populações. Onde são imperiosas novas soluções para velhos problemas. Onde é urgente reinventar estratégias assentes simultaneamente na experiência feita e na criatividade realista. Onde as questões aparelhisticas serão secundárias em relação aos interesses efectivos do Distrito.
Porque é urgente ultrapassar e vencer sérios obstáculos que se deparam hoje nas nossas comunidades, dos quais o desemprego e a desertificação são os principais. Enfim, estou certo que a experiência do Eduardo Brito em muito contribuirá para ultrapassar todos estes desafios e repor a Guarda no mapa por boas razões.
Fica assim registada a minha inequívoca posição sobre esta matéria para que não restem dúvidas!

2 comentários:

Eduardo disse...

Conheço pessoalmente o Sr. Eduardo Brito, e já lá vão 11 anos que o conheci.Mas meu comentário não é para engrandecer o trabalho desse nosso politico e sim para lhe dar,Mario Jorge, os parabéns pela sua atitude de o apoiar, demonstrando assim sua preocupação pela comunidade, acima de qualquer fator político. Eduardo Reis, Rio de Janeiro.

Anónimo disse...

André Neves Figueiredo foi apresentado como a grande novidade no secretariado nacional do PS que será escolhido pela Comissão Nacional do partido. Natural de Seia. Foi aluno da licenciatura em Direito na extinta Universidade Internacional da Figueira da Foz, durante mais de 15 anos, Nunca logrou terminar a dita licenciatura. No entanto usa o título de Dr. Não sei quem nos faz lembrar alguém?
Nas últimas eleições foi um apoiante do desconhecido José Albano (vencedor) contra o Eduardo Brito(perdedor). È considerado em Seia um traidor. Dado que foi o Eduardinho que lhe deu emprego na autarquia como assessor do presidente, o que durou até este o trair e ser despedido. André foi um dos responsáveis pela angariação fraudulenta de militantes socialistas na Guarda, como sejam os dadores de sangue, os elementos da freguesia Freineda em Almeida. Noticiado pelo SOL. André é considerado em Seia como sendo uma pessoa doente e em tratamento psicológico, com diagnóstico de bipolar e mentiroso compulsivo.
Uma pequena investigação facilmente demonstra estes factos apresentados.
Será normal um primeiro-ministro de um país democrático ter um assessor destes? Será aceitável?
Não é isto sintoma de um país em avançado estado de cleptocracia?
Como é possível um tipo destes ser a novidade?
Em que partido é que um mentiroso compulsivo e ignorante destes, é a novidade?
Isto cheira-me a projectos das casas de Sócrates na Guarda tapado com peneira.
Têm tudo preparado para que o André Figueiredo seja o 2º da lista do PS nas Legislativas de 2009. O Dr. Palhaço.
Pela Guarda não queremos um traste destes…
A Guarda não teve deputados decentes no último mandato não vamos continuar a ser representado por pessoas duvidosas. A união faz a força.

Será que este terminou os estudos?

Ou mais um do 7º ano de praia a enganar os Gusrdenses?


Alúém sabe? Não deixaremos passar nada. TOLERÂNCIA ZERO aos políticos da Guarda.