quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Petição em defesa da Casa de Santa Isabel

Está a circular uma petição online que manifesta a sua discordância pela execução de um traçado da Variante de Seia, entre a Estrada Nacional e a 339, sensivelmente a cima do Intermarché, a ligar até ao Depósito, na estrada que vai para o Sabugueiro, atravessando a Quinta do Formigo, pondo em risco o projecto social da Casa de Santa Isabel de São Romão.

A quinta do formigo em São Romão - Seia, é um local de grande harmonia natural, onde se encontra a Casa de Santa Isabel (uma casa de ajuda a crianças com deficiências) e os seus dirigentes manifestam a sua preocupação com a possibilidade deste traçado.

Perante esta petição que está aí a circular, questionei hoje o Presidente da Câmara de Seia. Carlos Filipe Camelo informou-me que já visitou a Casa de Santa Isabel e que neste momento, o Instituto de Estradas de Portugal está a estudar a melhor solução para o referido traçado, não havendo neste momento qualquer decisão tomada. Além de que, garantiu o autarca, quando houver soluções, e será sempre mais do que uma, as pessoas e as instituições serão auscultadas. Quanto à petição, disse-me que os dirigentes da Casa de Santa Isabel lhe falaram antecipadamente desta iniciativa, e que se trata de um direito que assiste à comunidade. Por isso, digo eu, qualquer solução que venha a ser apresentada, tem de ter em conta a importância da casa de Santa Isabel no quadro social do concelho, e da boa harmonia ambiental a que tem direito, pelo que não passe pela cabeça de qualquer técnico iluminado do IEP que qualquer estrada parta ao meio esta comunidade terapêutica. Antes de haver IEP já havia Casa de Santa Isabel. E claro, relativamente à Câmara Municipal, estamos certos e tranquilos de que optará sempre pela melhor solução para todas as partes.



http://www.petitiononline.com/formigo/petition.html

2 comentários:

Sérgio Alves disse...

Eu já assinei.

Marisocas disse...

Realmente eu fiquei revoltada com o que li.
Não vivo na Casa Santa Isabel mas vivo em S. Romão e sou uma pessoa com deficiencia.
Tenho duas grandes preocupações:
1ª para onde vão aquelas pessoas se esse projecto sair? O estado compromete-se a tratar do alujamento acolhedor que tinha aquela casa?
2ª o que acontece áquela beleza que de lá se via? É só o alcatrão que ganha vida? E o resto? Já não existe a protecção ambiental neste país, nesta Serra?
Sinceramente estou bastante revoltada, chateada, triste...