sábado, 23 de janeiro de 2010

Alegado agressor ganha Euromilhões na esquadra de Seia


Estranha notícia esta, que acabo de ler no JN:


Um elemento de um trio de assaltantes suspeito de ter esfaqueado um empresário descobriu que era um dos vencedores do concurso Euromilhões enquanto estava na esquadra da GNR.

O suposto agressor descobriu que era um dos vencedores do concurso do Euromilhões desta semana enquanto esperava na esquadra da GNR de Seia pelo fim da audição dos seus dois alegados cúmplices.

O trio é suspeito de ter esfaqueado um empresário do sector dos lacticínios do Sabugueiro, Seia, no distrito de Guarda.

O alegado assaltante, já ouvido esta manhã no Tribunal de Seia, terá ganho 700 mil euros no Euromilhões. Ainda na sala de espera da esquadra, telefonou ao filho para lhe pedir que guardasse o boletim com chave vencedora.

O agora milionário, de Oliveira do Hospital, é acusado de, juntamente com outros dois indivíduos, ter esfaqueado, ontem, sexta-feira, pelas 10.30 horas, “mais de uma dezena de vezes” o empresário do Sabugueiro, de 50 anos.

O agressor entrou no carro da vítima, quando esta saía de casa e esfaqueou-a para conseguir saber a localização de uma pasta que supunha ter dinheiro e cheques do empresário, que conseguiu parar com a agressão ao buzinar.

O trio fugiu, tendo sido localizado horas mais tarde, nas imediações do local do crime.

nota: à hora a que escrevo, os agressores, incluindo este que agora diz que lhe saiu o euromilhões, ainda estão a ser ouvidos no Tribunal de Seia, para se saber quais as medidas de coacção. Uma notícia que vai fazer correr tinta e que poderá dar nas televisões.

Entretanto, para o empresário agredido e sua família, a minha solidariedade neste momento de grande dor e aflição.

8 comentários:

Pinhas disse...

Sei que o agredido tem vários negócios, mas de lacticínios não lhe conheço.
E com mais de 10 facadas, penso que ficaria em perigo de vida e não foi o que um dos familiares, que o acompanhou ao Hospital em Coimbra, disse. Tinha ferimentos na cara e no peito.

Anónimo disse...

24 Janeiro 2010 - 00h30
Seia: Empresário assaltado em casa e agredido com doze facadas
Ladrão ganha no Euromilhões

Azar no crime, sorte no jogo. Um homem que anteontem foi preso por suspeitas de ter participado no assalto violento a um comerciante – brutalmente esfaqueado por doze vezes – no Sabugueiro, Seia, estava já preso no posto da GNR quando soube que tinha ganho o quarto prémio do Euromilhões (5576 euros). "Ganhei no Euromilhões", gritou o suspeito, deixando boquiabertos os guardas e os inspectores da Polícia Judiciária.
O detido, de 57 anos, acertou em quatro números e nas duas estrelas e como achava que era o segundo prémio "foi dormir [na cela] a pensar que tinha ganho 700 mil euros", adiantou ao CM fonte policial. Por isso, telefonou ao filho, advogado que já trabalhou no Parlamento Europeu, para este lhe ficar com o boletim. "Jogou aqui dois euros de máquina", disse ao CM Carlos Artur, funcionário do Café Portugal, em Oliveira do Hospital, e ganhou 5576 euros.
Ontem, em Seia, o prémio foi mais comentado do que o assalto e o esfaqueamento de Francisco Patrão, 50 anos, comerciante de queijos e peles. A vítima foi atacada por um homem que lhe entrou no jipe e perguntou pela "pasta negra", que teria dinheiro. Depois desferiu-lhe 12 facadas. O comerciante gritou e foi socorrido por vizinhos, obrigando à fuga do assaltante.
Os dois cúmplices também fugiram de carro aos populares. Os suspeitos são o ex--dono de uma queijaria de Meruge – contemplado pelo Euromilhões – e dois jovens com antecedentes criminais. Ao início da noite ainda estavam a ser ouvidos por um juiz, e a Judiciária continua as investigações.
"TENTARAM MATAR O MEU PAI"
Os três homens envolvidos no ataque ao empresário do Sabugueiro foram injuriados e alvo de tentativa de agressão quando entravam para o Tribunal de Seia. Familiares e amigos da vítima não contiveram a "revolta" e tentaram fazer justiça popular. "Estes bandidos tentaram matar o meu pai e vão ter que pagar por isso", referiu aos gritos Ricardo Patrão, filho do empresário, salientando que "eles prepararam tudo para lhe roubar dinheiro". O familiar adianta que um dos suspeitos, o "mais velho", foi em tempos fornecedor do pai. "Ele conhece bem os passos do meu pai, porque foi seu cliente durante muitos anos", disse.
António Oliveira, de 58 anos, que socorreu o agredido e ajudou na captura dos agressores, contou ao CM que o autor das facadas fugiu a pé e foi encontrado escondido num canil desactivado. "Estava no meio da lama. Se não fosse a GNR teria sido linchado pelas pessoas". Os outros dois foram presos quando tentavam fugir num carro.

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=34DF7CAD-2577-47D4-BFD4-0E7E29795ADC&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010&h=3

Anónimo disse...

Escondeu-se no canil e escapou por um triz à ira do povo
00h30m
O homem suspeito de ter agredido à facada o comerciante de queijos do Sabugueiro, Francisco Patrão, correu sérios riscos de ser linchado por populares.
Quando soou a notícia da tentativa de assalto e a confirmação da agressão, os habitantes da aldeia mais alta de Portugal muniram-se de paus e de ferros e partiram em busca do homem que andava a monte.
Ao final da manhã, o suspeito era encontrado, escondido dentro de um canil, junto à ponte sobre o rio Alva. "A GNR chegou a tempo e cercou-nos. Impediu-nos de fazer justiça pelas próprias mãos. E não era um nem dois habitantes. Era o povo que estava tão revoltado que queira castigar quem veio pôr em causa o nosso sossego e atentar contra a vida de quem trabalha", relatou uma residente.

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1477427

Anónimo disse...

"Milionário" no trio suspeito de ter esfaqueado empresário
Detido prestava declarações na GNR quando viu na televisão que tinha prémio no Euromilhões
00h30m
Teresa Cardoso
Empresário esfaqueado brutalmente durante assalto à porta de casa, em Sabugueiro, Seia, pode perder um olho. Um dos três suspeitos de o atacar soube, na GNR onde estava detido, que ganhou o Euromilhões. Não o segundo prémio, como pensava, mas o quarto.
O novo "milionário" e os outros dois elementos do grupo foram capturados pela GNR de Seia com a ajuda de populares e conduzidos ao posto local por suspeita de envolvimento na agressão violenta a Francisco Cruz Patrão, de 50 anos, presumivelmente para o roubarem.
A vítima, que após a agressão foi tratada na unidade de saúde de Seia, antes de ser transferida para os hospitais de Coimbra, acabou por ter alta no próprio dia. E foi conduzida para sítio desconhecido. "Tem um filho médico. Está em local seguro", explica Ricardo Patrão, o próprio clínico e filho do empresário, que não perdoa a quem atentou contra a vida do pai.
"Ficou muito maltratado. Quem o atacou, fê-lo de forma premeditada e com o intuito claro de lhe tirar a vida. Num dos olhos e na garganta tinha ferimentos com entre seis a oito centímetros de profundidade", confirma o jovem médico, sem hesitar, receoso que o pai possa vir a sofrer de lesão ocular "irreversível".
Ontem, já sob a alçada da Polícia Judiciária (PJ) da Guarda, os três suspeitos foram ouvidos durante todo o dia no Tribunal Judicial de Seia. À sua chegada, uma pequena multidão, com muitos familiares da vítima presentes, gritou por "justiça".
Às 22 horas, os três homens continuavam a ser ouvidos, desconhecendo-se os crimes que lhes são imputados e as respectivas medidas de coacção aplicadas.
Premeditação?
A tentativa de assalto seguida de agressão ao destacado comerciante de queijo e de artigos em pele ocorreu cerca das 10 horas de anteontem.
Francisco Cruz Patrão estava em casa, a acompanhar trabalhos de reparação eléctrica, quando foi abordado por um desconhecido que lhe queria vender cães da raça Serra da Estrela. Apesar de o empresário manifestar desinteresse no negócio, o suspeito ter-se-á mantido nas imediações, o que gerou suspeitas. "O meu pai terá pressentido algo de anormal e chegou a accionar duas a três vezes o alarme", recorda o filho.
A meio da manhã, quando o comerciante saía de casa dentro do jipe, o mesmo homem que o tinha abordado entrou e trancou o veículo. "Espetou-lhe uma faca na vista e na garganta sem explicações. Depois começou a esfaqueá-lo enquanto lhe perguntava pela pasta preta", relata Ricardo Patrão.
O médico acredita que o crime terá sido "premeditado" por alguém que sabia que o pai, em tempos, teve uma pasta preta onde guardava cheques e dinheiro. Com a ajuda de populares, o agressor foi capturado, tal como os alegados cúmplices que rondavam a casa, de carro.
Alarme não demoveu agressor
A moradia de Francisco Patrão tem localização privilegiada num dos pontos altos do Sabugueiro. Está vedada e tem alarmes que a vítima terá accionado, duas a três vezes, para demover quem estivesse com más intenções.
Portão aberto facilitou
O portão da propriedade que rodeia a residência estava aberto, para permitir a saída do dono da casa dentro do jipe. O momento foi aproveitado pelo assaltante que entou no veículo, bloqueou as portas e atacou o condutor.

http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1477166

Anónimo disse...

Ganhou o euromilhões enquanto estava preso
por Amadeu Araújo

O agressor de um empresário do Sabugueiro, no concelho de Seia, foi contemplado com um prémio do Euromilhões enquanto estava detido, nos calabouços da GNR, a aguardar ser ouvido pelo juíz.
Tudo aconteceu na sexta-feira. Um empresário do Sabugueiro, Seia, foi esfaqueado por um cadastrado acabado de sair da prisão. Os populares, alertados pelos gritos de socorro da vítima acabaram por deter o agressor. Fonte policial contou que o homem “actuou a mando de um antigo fornecedor do empresário e teve a ajuda de um cúmplice”.
Foi já no posto da GNR que o autor do esfaqueamento “soube que tinha sido contemplado com um dos prémios do Euromilhões”, adiantou a fonte. O homem foi contemplado com seis mil euros.
No sábado a PJ deteve o alegado mandante e o cúmplice. Os três foram presentes a tribunal e estão acusados de assalto à mão armada e tentativa de homicídio. Ouvidos em tribunal os três vão ficar a aguardar julgamento em prisão preventiva.
A advogada do empresário também já formalizou uma queixa na GNR. Sónia Carneiro adiantou que a vítima “não conhecia nem o autor nem os cúmplices da agressão”.

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1477775&seccao=Centro

Anónimo disse...

suspeito e dois cúmplices na cadeia por assalto em que feriram empresário à facada, em Seia
Ladrão que ganhou prémio do Euromilhões fica preso
Os três homens envolvidos no assalto que deixou gravemente ferido um empresário de Seia, que foi esfaqueado por 12 vezes, vão aguardar julgamento em prisão preventiva. Um deles, 57 anos, é o ex-dono de uma queijaria e empresa de venda de queijo – e soube que tinha ganho o quarto prémio do Euromilhões, no valor de 5576 euros, quando já estava preso na GNR, anteontem.
Após 11 horas de interrogatório, o juiz indiciou os três por co-autoria de um crime de roubo qualificado. No entanto, ainda podem vir a ser indiciados pelo crime de tentativa de homicídio. O arguido – que esfaqueou Francisco Patrão à porta de casa e dentro de um jipe – confessou que não teve intenção de o matar, mas apenas de lhe roubar uma pasta negra com dinheiro. Os três terão "preparado ao pormenor" o ataque ao comerciante.

http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=227FF7C6-316B-4495-B69B-AAAFD845AD80&channelid=00000010-0000-0000-0000-000000000010&h=3

João Carreira disse...

Caro Mário Jorge Branquinho,

N'"Os Dias da Rádio" de Woody Allen há uma história parecida. Uns ladrões roubam o recheio de uma casa e toca o telefone: tratava-se de um concurso da rádio e um dos ladrões responde a todas as perguntas. Passados alguns dias, os proprietários da casa voltam e deparam, chocados, com uma casa vazia. Em segundos, tocam à porta. Eram uns senhores que vinham entregar o prémio do concurso...
Quanto ao suspeito, e caso tenha sido ele um dos que cometeu o crime, espero que tenha cuidado com os cúmplices, visto que agora é ele um alvo apetecível.

Com estima e admiração,

João

Anónimo disse...

Paulo Leitão

Roubo milionário reconstituído

O sabugueiro esteve ontem 12/02/2010 rodeado de polícias para assegurar a ordem pública durante a reconstituição de uma tentativa de roubo e esfaqueamento a um comerciante local.
Ao contrário do que tinha acontecido na audição dos suspeitos no tribunal de Seia, desta vez não se registaram ameaças dos familiares da vítima aos arguidos. A reconstituição foi feita para a fase de inquérito do crime, que acabou por ter uma maior visibilidade mediática devido à curiosidade do alegado cabecilha do grupo ter ganho o quarto prémio do Euromilhões e saber disso enquanto estava detido no quartel da GNR de Seia.
Durante uma noite, António Lagos, 58 anos, residente em Oliveira do Hospital, ainda chegou a sonhar ter-se tornado excêntrico, ao ganhar o Euromilhões, apesar da sua condição de presidiário. Enquanto aguardava para ser interrogado pela Policia Judiciária, viu na televisão o sorteio do concurso e começou a gritar que lhe tinha saído o segundo prémio, que teria o valor de 700 euros.
No dia seguinte soube que, afinal, o sonho continuava a ser um pesadelo e que iria manter-se a dormir na prisão e com muito menos dinheiro do que pensava. Quando se dirigia ao tribunal, para lhe serem aplicadas as medidas de coacção, o seu advogado transmitiu-lhe que afinal tinha apenas ganho o quarto prémio. Acertou em quatro números e duas estrelas e o prémio era somente de 5.576,39 euros. Como o prémio é superior a 5 mil euros, terá que ser levantado na Santa Casa, em Lisboa, não pelo próprio, que está atrás das grades, mas sim pelo seu filho.
Horas depois, no final daquela noite, nova desilusão ao conhecer a medida de coacção decretada pelo juiz: prisão preventiva.