segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Seia agradece a Correia de Campos

As pessoas do concelho de Seia bem podem dizer que não tinham razão de queixa do ex-Ministro da Saúde, Correia de Campos, dado que, enquanto que por todo o país há reclamações disto e daquilo, por cá constrói-se um grande edifício Hospitalar, quase em contra-ciclo. Por um lado, está a ser feito um investimento público bastante significativo na reconstrução do Hospital de Seia e por outro está a consolidar-se um conjunto de valências e serviços de saúde capazes de responder ás necessidades das populações da região.
A única questão que se pode protestar neste sector, tem a ver com o mau funcionamento do Centro de Saúde desta cidade, mas isso tem mais a ver com a falta de dinâmica e talvez competência do Director daquela instituição do que da actuação do Ministro. Há vários anos que o “Posto Médico” tem falta de médicos, carece de organização, de método, de planeamento e sobretudo de estratégias de prevenção na saúde. Mas nada é feito para inverter a situação, para evitar esperas ás 4 da manhã ou outras canseiras e dificuldades no acesso á saúde.
Sem me querer colocar na pele de político de craveira ou gestor da área da saúde, apraz-me o direito a uma leitura superficial de um sector tão sensível quanto importante e que tem sofrido nos últimos dois anos uma verdadeira revolução. E como qualquer revolução, também esta não se faz sem dor, nem tão pouco sem excessos, daí a turbulência e o furor causados pela acção directa do Ministro da pasta. E se há mudanças que têm de se operar a fundo, as da saúde não terão qualquer efeito se não forem de “rajada”, firmes e fortes, ao arrepio de interesses instalados ou de segundas outras intenções de registo camaleão.
Correia de Campos vinha a fazer um trabalho profundamente positivo na Saúde, pelas medidas introduzidas e reformas alinhadas, quer na melhoria dos serviços, quer na rentabilização de recursos. O seu pecado terá sido a forma inábil com que lidava com as situações e porventura a falta de sensibilidade numa área tão frágil como a saúde, dando argumentos á ala mais á esquerda no PS, liderada por Manuel Alegre, para que se moderasse o rumo.
Seja como for, Seia não tem razões aparentes para condenar Correia de Campos, um politico com competência técnica que soube interpretar o pensamento de Sócrates para o sector da Saúde, apostando na melhoria dos serviços e na rentabilização dos meios. De resto, estivemos perante um Ministro que caiu em combate, como um valoroso guerreiro em campo de batalha, coerente á linha traçada para fazer mudar alguma coisa numa área cheia de maleitas e vícios nocivos á saúde e ao erário público.
Nesta hora e neste sentido, apetece dizer que estar na política implica mais do que amar o que é fácil ou mais politicamente favorável, porque dos fracos pouco reza a história. E a coragem de remar ao arrepio pelo bem estar dos outros só muito mais tarde, ás vezes tarde demais, é que é identificada e relevada.
Enfim, são as voltas da política dura e difícil de fazer, que é má porque se faz, mas que é péssima quando se não pratica. Assim como assim, mais vale ver quem faz para que tudo não fique na mesma, do que deixar correr tudo ao “Deus Dará”.

7 comentários:

Antonio Fernandes Pina disse...

O ano 2008 está ainda a começar, e já há notícias verdadeiramente bombásticas que pôem em causa o poder eleito democraticamente.
As Instituições estão a funcionar e preocupadas em encontrar mais e melhor desenvolvimento económico e social. É evidente que nem tudo é perfeito!
Ontem o Senhor General Garcia Leandro assustou as boas gentes de Portugal ao dizer que estão iminentes "explosões sociais". Creio que estas palavras são do agrado da Doutrina populista que a todo o custo tenta destornar o Engº. José Sócrates, que sempre rejeitou o populismo (atenção de esquerda e de direita), é curioso, o anverso e o reverso da má moeda, a favor do Socialismo Democrático. A democracia perfeita não existe, mas aperfeiçoá-la é possível. É isso que o Partido Socialista está a fazer (umas vezes diz sim e outras não) (desconfiar daqueles que dizem sempre sim).
A intervenção do Senhor Presidente da República Professor Cavaco Silva é mais precisa que nunca, dizendo aos Portugueses toda a verdade dos factos que têm vindo a desenrolar-se desde o início do ano. Não vou dizer que a democracia está em perigo, mas a situação é preocupante.
O Senhor ex-Ministro da Saúde Dr. Correia de Campos já foi vítima desta situação, e muitos mais políticos, até Autarcas, irão sofrer com esta doutrina.
É preciso que o Partido Socialista esteja preparado para enfrentar, como fez o Senhor Doutor Mário Soares na Fonte Luminosa, e venha denunciar quem são? De onde veêm? E para onde vão?

Anónimo disse...

o seu blogue sobre Correia de Campos, não merece comentários.

Cagido disse...

O Sr. escreve assim, porque não reside em Anadia. Aqui temos um hospital que foi acreditado por uma instituição internacional e por isso fomos o 1.º hospital de nível 1 em Portugal, a fazer triagem de Manchester na urgência. O hospital de Seia tb é de nível 1, não sei se faz triagem.Estamos quase a 30 kms de Coimbra e os habitantes da zona de Sintra tb estão a 30 kms do hospital Amadora-Sintra, perdem muito tempo na deslocação até chegarem ao referido hospital. Eles estão mal, por isso, por que é que os de Anadia não hão-de ficar mal!? Comparação do ex-ministro da Saúde, no programa Prós e Contras. Se os de Sintra estão mal, melhore-se a sua situação, nós até estamos/estávamos bem continuaríamos assim. Ministro que compara uma ambulância com o nosso serviço de urgência, dizendo que a ambulância está mais bem equipada do que a nossa urgência, só revela ignorancia, pois nunca lá esteve para se inteirar dos seus equipamentos.
Já agora aconselho-o a verificar as fotos da urgencia do hospital de Anadia, no blogue João Tilly.
Cordialmente.
Paulo Cardoso

Anónimo disse...

esta sua mensajem sobre Correia de Campos, não tem cabimento.e nem merece comentários.

Anónimo disse...

O sr. deve estar muito bem na vida para escrever o que está na sua mensagem,será que o sr.não vê o que se está passar em portugal,morrerm á espera de consulta numa urgência,nascem bébés dentro das ambulancias, não há empregos, enceram-se maternidades, encerram-se urgência,encerram-se hospitais,e o sr.cretica um general, por dizer a verdade, e desculpar a politica do governo, será que os portugueses não teem olhos para vêr o que se está apassar, o quer fazer deles burros, não insulte os portugueses.

Anónimo disse...

http://wehavekaosinthegarden.blogspot.com/ já que o sr. Pina defende tanto o sr correia de campos, o melhor será visitar o blogue acima mencionado, tem muito que vêr. SAUDAÇÕES

Antonio Fernandes Pina disse...

Mantenho os meus comentários.
A mim ninguém me cala, falo e escrevo na linha do meu pensamento.
E vós quem sois Senhores? Acusais-me de maltratar os Portugueses? Tenho provas dadas Senhores que sempre defendi a minha Pátria com alma e coração, sem quaisquer contrapartidas quer políticas, financeiras ou outras.
Tenho orgulho em mim e nos Portugueses, eles sim merecem-me total consideração e respeito, já não posso dizer o mesmo de vós Senhores!