sábado, 1 de novembro de 2008

Presidente à moda da Beira. Humor, Culinária e talvez alguma política

Com a devida vénia, publico aqui um texto de opinião de Joaquim Nércio, que vem na edição de 30 de Outubro do Jornal "O Interior" da Guarda: www.ointerior.pt

"Esta receita pode ser utilizada com resultados assegurados, mas pela sua complexidade de confecção requer cozinheiro especializado, bem como um elevado número de ajudantes de cozinha experientes na matéria ou então de fácil e rápida aprendizagem, que ajam facilmente sobe as técnicas do "segue-me" e "vale tudo".
.
Ingredientes:
- 1 Kg de militantes colhidos atempadamente, com uma antecedência nunca inferior a 6 meses, podendo ser utilizada para colheita a conhecida técnica de chapelada (técnica ancestral que deriva do termo e função de chapeleiro ou "afia tesouras", homem que percorria cidades, vilas e aldeias puxando um carrinho engenhoso e tocando uma gaita de muitos buracos, fazendo-se notar e ouvir mesmo sem nada dizer, mas lá tocar gaita e de muitos buracos sabia ele);
.
- 1,5 Kg de discurso bacoco, vazio e aparelhista, bem decorado, de preferência em frente ao espelho, muito repetido mas tendo o cuidado de nunca o confrontar com ninguém, sob o perigo e elevado risco de poder perder todo o sabor e paladar;
.
- 1 colher de sopa de vídeo com um fundo campestre em que o cozinheiro represente sozinho o texto esforçadamente decorado (em frente ao espelho) e sabiamente escrito lá por Lisboa pelo desconhecido (ou não) cozinheiro mor, que deverá ser atempadamente colocado no You Tube e no blogue www.esomaior.com com acesso restrito a comentários de estranhos ao projecto culinário;
.
- 1 embalagem de molho de campanha publicitária via CTT pré-confeccionado, comprado numa loja perto de si;
.
- 1 ramo de salsa;
.
- 1 ramo de presidente das mulheres, colhido no quintal da casa de família;
.
- 1 folha de louro;
.
- 1 folha de presidente da juventude;
.
- 100 gramas de COC (comissão organizadora de congressos), tendo o cuidado de esta ser de segunda escolha, pois adquire um sabor mais intenso, assegurando assim o condimento mais à medida do tempero exigido para garantir os bons resultados da confecção;
.
- 999 gramas de cotas pagas por Multibanco, fresquinhas de preferência do próprio dia ou então do dia anterior; - sal e pimenta;
.
- 0,5 dl de vinho branco da região.
.
Modo de preparação:
Numa panela de "pressão", onde caibam todos os militantes já marinados há mais de 6 meses, junte também todos os políticos ressabiados e todos os outros importantes e alinhados, deite discurso bacoco, vazio e aparelhista em quantidade suficiente para os cobrir e leve ao lume com as cotas pagas fresquinhas, vinho branco da região, COC em grão e louro e salsa "atados". Tempere com presidente da juventude e presidente das mulheres em quantidade qb, sal e pimenta a gosto e deixe ferver cerca de 40 a 50 minutos dependendo da capacidade de pressão da panela. Desligue o lume e deixe arrefecer. Depois escorra os militantes, deite-os sobre uma travessa e enfeite com o vídeo com fundo campestre. Sugestões: Junte o molho de campanha publicitária via CTT pré-confeccionado em quantidade abundante de forma a preencher toda a travessa. Acompanhe com vinho tinto velho de aroma frutado. Recomendações: Esta iguaria digna de um verdadeiro repasto deve ser apreciada, degustada e ingerida em quantidades moderadas, pois embora o seu magnífico paladar agrade comprovadamente a uma grande maioria, poderá provocar graves distúrbios gastro-intestinais".

Por: Joaquim Nércio

4 comentários:

Luís Castro disse...

E depois vou ter de tomar um chá!
Luís Castro

Anónimo disse...

Acho melhor bicarbonato de sódio.

João Pedro disse...

Oh Quim;
Se o amigo Alfredo Saramago ainda por cá andasse, decerto te pediria o plágio da receita para publicar no editorial da "Epicur". É que há praí uns gourmet's de se lhes tirar o chapéu!

Cordial abraço,
João Pedro (Barriosa)

Anónimo disse...

o amargo sabor da derrota misturada com queijo de celorico
albertino