quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

VIAGEM NAS OUTRAS TERRAS

Ir para fora, sem sair do concelho de Seia

Fui às memórias remexer um texto que fala de uma viagem no concelho de Seia. Do pequeno livro "O Mundo dos apartes", que publiquei em Maio 2002:


Dedico este texto às povoações da encosta de lá da serra, entre Loriga, Alvoco, Vide e por aí fora, dentro do concelho de Seia.
São terras que têm muito para oferecer, através das paisagens de encanto e dos recantos na natureza.
Por exemplo, aos Domingos há passeios que podem fazer-se a partir de Seia, constituindo autênticas viagens a mundos fantásticos.
Sair de Seia, passar por São Romão,
Ponte Jugais (central Hidroeléctrica),
Lapa dos Dinheiros,
Valezim - Santuário da Senhora da Saúde,
Sazes da Beira, (Santuário da Santa Eufêmia)
Zona dos antigos viveiros de árvores, na Portela do Arão,
Centro da vila de Loriga, (Santuário da Senhora da Guia e Miradouro de Loriga),
Povoado de Alvoco da Serra, (Casa da Fonte, da Ribeira e Cabalhanas)
Vasco Esteves, Outeiro da Vinha, Aguincho,
Teixeira de Baixo (Viveiro de Trutas), Teixeira de Cima,
Vide e as suas 28 anexas, das quais se destacam:
Muro, Casal do Rei, Cide, Gondufo, Barriosa,
Balocas, Baloquinhas, Malhada Cide, Silvadal, Rodeado, entre outras.
A seguir a viagem pode levar-nos a Sandomil, via vale do Alva, onde se disfruta o ambiente saudável da praia fluvial, com a sua ponte romana, subindo depois pela estrada até Torroselo, (Monumento à Criança) chegando de novo á cidade via Santiago.
Uma volta alegre de Seia até Seia que merece ser dada, cumprindo o slogan de forma caseira do


“VÁ PARA FORA CÁ DENTRO

Pelo caminho vê-se muita paisagem deslumbrante, pessoas simpáticas, cafés atractivos e pormenores de rara beleza. Ar puro, águas cristalinas e várias pontes a deixar passar para outros lados de aventura, encontrando-se alguns (poucos) sítios para almoçar. Restaurante Império em Loriga, “Abrigo da Montanha” no alto das Pedras Lavradas, Centro dos Amigos da Teixeira, restaurante antes de Vide, ou mais adiante no restaurante da ponte das 3 entradas, e restaurante Mir Alva em Torroselo.
Pelo caminho pode também provar-se a aguardente de medronhos, uma colher de mel, (já que abundam as colmeias nas encostas floridas, um queijinho de cabra ou outras delícias da serra. Os pic-nic’s também são recomendados!
Na Segunda viagem por estas terras pode fazer-se em sentido inverso e eventualmente penetrar-se no concelho de Oliveira do Hospital, subindo por Aldeia das Dez, Senhor das Almas, Culcurinho, Piodão, voltando á Vide e seguindo.
Vale a pena percorrer esta zona da serra, à descobertas da natureza.

Por mim e por agora, vou ali,... já venho!

2 comentários:

Álvaro Pessoa disse...

Que curiosa coincidência!
Num dos últimos fins de semana fiz esse trajecto que propõe. As freguesias mais afastadas do concelho eram as únicas que ainda não tinha visitado. Fiquei bastante contente por ver, que apesar do isolamento daquelas localidades,estas têm ainda alguma vida e só com muita atenção se vislumbra o abandono. De certo haverá excepções, mas por todas as terras por onde passei vi muita gente na rua aproveitando o calor dos primeiros dias de sol, depois de tanta chuva ter caído na nossa região. E em algumas, várias crianças e jovens, embebidos pelo espírito carnavalesco, levavam a cabo festas de folia pelas ruas das suas amadas terras.
Como ponto alto da viagem, destaco a visita ao Poço da Broca na Barriosa. Aquela cascata deixou-me maravilhado, e a vontade de dar um mergulho naquela água transparente apenas foi vencida pela temperatura ambiente.
Aconselho vivamente este passeio, a todos aqueles que ainda não conhecem está zona do concelho. Não encontrarão centros comerciais é certo, mas a paisagem natural desta zona deixará todos aqueles que gostam de natureza, com um sorriso nos lábios e mais alegria no espírito.

João Carreira disse...

Depois do excelente testemunho de Álvaro Pessoa, que mais dizer, a não ser que partilho as opiniões do dono do blogue e do testemunho aqui, por cima, colocado.

Um especial agradecimento, pela fotografia do centro de Loriga. Gostei do ângulo da fotografia, pois lembrou-me certas coridas de bicicleta pelas ruas mais estreitas, onde normalmente dava cabo dos joelhos depois de arrepiantes quedas.

Muito Obrigado.Votos de uma Excelente Semana.

Com estima e amiração,


João