sábado, 21 de fevereiro de 2009

Milhares na serra e em Seia também


Este fim-de-semana de carnaval está prevista uma afluência de 200 mil pessoas à serra da Estrela, segundo a edição do jornal Público desta sexta- feira. No texto, dá-se grande destaque às potencialidades do sistema montanhoso, inserindo-se inclusivamente imagens de rara beleza – a zona da Torre com neve de 2 metros de altura e um sol radiante. Na mesma peça também se diz que a serra no seu esplendor também significa problemas acrescidos, uma vez que o turismo em grandes quantidades tem os seus constrangimentos. Apontam-se soluções, que passam pela restrição dos acessos em massa ao maciço, dão-se palpites e mais palpites, alguns já com mais de 20 ou trinta anos e constata-se que é todos os anos a mesma cantiga.


Que a Turistrela é um embuste que põe e dispõe, que isto e que aquilo, etc, etc. Que a serra é um gigante adormecido, que o sal faz mal à saúde e aos lençóis freáticos, que as pistas funcionam mal, que quando não há neve não se pode esquiar e quando cai um pouco fecham a estrada, que os Costa Pais são os donos da serra, que ganham rios de dinheiro com as rendas, blá, blá-blá, e por aí fora.



Muita coisa tem melhorado no turismo mas muito há a mudar. Muito equipamento qualificado tem sido construído. Ainda agora se anuncia um campo de golfe para Seia. Disto falarei um dia destes.



No entanto, nestas alturas há neve e sol, há feiras de queijo pelos concelhos da região, há carnaval, há dinheiro - apesar da crise – e tudo vai rolando, apesar de tudo.



Em Seia a Feira do queijo voltou a ser um sucesso com muitos visitantes, produtores satisfeitos com as vendas, os passeantes provaram e gostaram do queijo, do pão e do vinho, o tempo ajudou, com um sol radiante, as crianças saíram à rua mascaradas, a animação foi de arromba pelas ruas, com pipocas, farturas e tudo. Até o Largo da Câmara esteve bem animado, com um mercado da vila que se revelou um sucesso, pelo número de pessoas que aderiram e pelas vendas feitas – legumes, coelhos, galinhas, sal, frutos, flores e afins.
As bandas tocaram todas em conjunto o hino de Seia, sob a batuta do Maestro Simões, que da varanda do município orientou os cerca de 240 músicos do concelho.
Foi bonita a festa pá, nesta cidade, porta da estrela.

Nota:
A feira não suscita, por natureza, o interesse dos editores de informação das televisões. Este ano, bastou vir o Paulo Portas para termos por cá os 3 canais televisivos. Era vê-los a acotovelar-se para obterem declarações e imagens do “Paulinho das Feiras” a distribuir beijinhos e abraços.
Noutros anos, a forma de os chamar é trazer Ministros, por isso e à falta deles, serviu mesmo o homem do CDS para ajudar à promoção da terra e da festa.



Nota 2: Na pesquisa que efectuei há instantes já há noticias por todo o lado sobre o Paulo na Feira do queijo. Mais ou menos assim: -


Paulo Portas anunciou este sábado que vai pedir audiências aos responsáveis pelas forças de segurança. O líder do CDS-PP pretende que sejam tomadas medidas “dissuasoras da criminalidade”.
Portas falava em Seia, onde este sábado se deslocou para uma visita à feira do Queijo da Serra da Estrela, organizada pela autarquia local.


2 comentários:

Álvaro Pessoa disse...

Não podia concordar mais....a serra é um gigante adormecido. A culpa é da Turistrela, mas não só. O Sabugueiro é um cancro na Serra. Não tem nada para oferecer a não sei queijo limpo do bolor e dos germes nos tanques nas traseiras das casas,e da venda de falsos cães da Serra da Estrela. Nas lojas da Torre, enganam os turistas ao venderem-lhes falso queijo da Serra.É certo que no Sabugueiro não à pobres, longe disso, mas enquanto eles enriquecem a Serra morre. Mas mais vergonhoso que isso, é o facto de destruírem tudo o que são placas indicativas de acessos alternativos à Serra, no caso,Senhora do Desterro e a nova Estrada da Portela d'Arão. Não quero discutir qual será o acesso mais bonito ou o mais seguro, acho sim que destruir essa placas, prejudicam as restantes localidades, e consequentemente o seu comércio. Além disso, levam a que longas sejam as filas de trânsito no acesso à Serra. Muitos são já os guias turísticos on-line, que aconselham os turistas a evitar o Sabugueiro a quando de uma visita à Serra da Estrela, pois não tem nada de atractivo a visitar.
Quanto à Feira do Queijo, os meus parabéns à Organização. Foi de longe a melhor de sempre. Contudo um conselho...tentem arranjar uma solução para os mortos de fome que enchem a feira, envergonhando todos os senenses (nos quais englobo todos os habitantes do concelho de Seia). Faltando poucos minutos para ser aberta a feira, já muitos mortos de fome se aglomeram junto às mesas, esperando que o "árbitro" dê o apito que marca o inicio ao jogo. Jogo este, que para estes mortos de fome, tem como objectivo meter mais queijos nos bolsos, nós bonés, nas malas de senhora, etc...
É vergonhoso para quase todas as pessoas que vão à Feira! Não sei se a solução passará pela cobrança de bilhetes à entrada, ou pela criação de uma falsa feira num ponto escondido do concelho, levando a que os mortos de fome não vão à feira real. Digo isto com ironia claro, mas algo deve ser feito.

Antonio Fernandes Pina disse...

É fácil apontar defeitos e graves, o pior é arranjar soluções válidas, e não atoardas que magoam as boas gentes do Sabugueiro e de todo o concelho.
Aqui fica o meu repúdio pelas palavras dirigidas aos Senenses.

Para si DR. Mário Jorge
Um grande abraço
Do sempre amigo

Assina: António Fernandes Pina