quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Bora lá, ouvir o Jorge Palma, dia 14 em Seia

Está a acontecer agora a Jorge Palma um fenómeno que se tem repetido em várias fases da sua vida artística.

O primeiro que eu conheço foi em 1985, quando Palma edita o álbum “O Lado Errado da Noite” extraindo dele o single “Deixa-me rir”, que ainda hoje funciona como imagem de marca.

Logo a seguir, em 1986, surge “Quarto Minguante” e em 1989 “Bairro do Amor” considerado pelos jornais Público e Diário de Notícias como um dos álbuns do século da música portuguesa.

Daí para cá houve outras etapas marcantes, umas boas, outras nem por isso, mas nem por isso mesmo o artista / compositor deixou de ser igual a si próprio.

A mim tem-me marcado musicalmente, e precisamente desde 1985 / 86, altura em que já passava “Deixa-me Rir” e outros, no tempo das rádios piratas. Primeiro na Rádio Beira Alta e depois mais tarde na Rádio Clube Serra da Estrela.

Por entre outras músicas mais em voga, várias vezes ia rodando Jorge Palma, quantas vezes contra a corrente, por muitos temas dele não serem tão comerciais e não recomendáveis nas Play list’s anotadas previamente à mão na ficha, que a lida da rádio já então impunha.

Por essas alturas eu tinha 20, 22 anos, e dizia algumas vezes que era o meu cantor português meu favorito!

Agora, passados sensivelmente outros tantos, tenho 42 e o Jorge tem 58, vou finalmente poder vê-lo ao vivo e ainda por cima em Seia. E não tanto como tantos, na ânsia de ouvir o “Encosta-te a mim”, provavelmente o ultimo tema do concerto, para prender a malta nova, mas para viajar pelos seus grandes êxitos, que o acompanharam tanto nos bons como nos tempos de “bardina”.

É dia 14 de Julho, no anfiteatro municipal de Seia, a partir das 23 horas, com entrada livre, porque no dia 25 de Julho, chovia em Seia na altura de montar aparelhagem e à meia noite, e o Jorge Palma não actuou, apesar de ter corrido o boato de que o artista se embebedou e não tocou!

6 comentários:

Maçã de Junho disse...

A agenda, a obra, o universo artístico de Jorge Palma em www.bloguepalmaniaco.blogspot.com
newsletter/informações: contactar ladoerradodanoite@hotmail.com

Anónimo disse...

Houve que o visse às 5 da tarde completamente embriagado à porta do Hotel Camelo. Do ver ao boato ainda vai uma grande diferença.

seia.portugal disse...

Os boatos são assim, caro anónimo. Eu agora até podia acrescentar, e jurar a pés juntos que o Jorge Palma nem sequer veio a Seia, que a pessoa que viram, seria uma sombra do homem; que afinal o tempo até estava muito bom, tipo sol da meia noite, coisa e tal, que isto é tudo uma grande trapalhada e que o grande beneficiado foi... o Sacristão, porque teve autorização da sua senhora para sair duas noites seguidas, e ainda por cima, uma é mesmo em cima do Feriado da Nª srª da Assunção, por isso, nada como boatos para animar a cidade e duas festas pel preço de, nenhuma, porque é tudo à borla!
Uf!!

Anónimo disse...

Pois é meu amigo, o tempo não perdoa, passa por nós voando,qd nos apercebemos disso,simplesmente já era.por esta razão entre outras, é k acho k o tempo é mt precioso.Deveria-mos saber aproveitar melhor o k de bom a vida nos vai oferececendo, ela é tão curta.E qt á idade não a revele, ninguem lhe dá mais k 20 ou 22 ok?.Eu pessoalmente só lhe dou 18.

Anónimo disse...

Pois é meu amigo, o tempo não perdoa, passa por nós voando,qd nos apercebemos disso,simplesmente já era.por esta razão entre outras, é k acho k o tempo é mt precioso.Deveria-mos saber aproveitar melhor o k de bom a vida nos vai oferececendo, ela é tão curta.E qt á idade não a revele, ninguem lhe dá mais k 20 ou 22 ok?.Eu pessoalmente só lhe dou 18.

Anónimo disse...

o problema é esse mesmo. Agora é tudo à borla pago com o dinheiro dos contribuintes, durante a fiagris ainda assim cada pessoa pagava dois euros o que era uma ajuda para fazer face às despesas.assim desta forma paga contribuinte mesmo que lá não vás.é uma tristeza esta gestão.