domingo, 16 de janeiro de 2011

um mau exemplo de serviço publico

Um destes dias dirigi-me a um serviço público para colocar uma questão particular. Qual não foi o meu espanto quando fui recebido pelo funcionário de forma mal-criada, ao ponto de eu ter dito ao referido servidor do estado que estava a ser mal-educado comigo e ele me ter respondido aos gritos assim: “Estou a ser mal-educado estou, mas faça favor de sair do meu gabinete”.

Óbviamente que não revelo mais pormenores aqui, apenas que comuniquei o assunto ao superior hierarquico e que desde aí estou á espera de uma explicação.

Um municipe não pode ser assim tratado e eu como cidadão aguardo uma explicação, sob pena de poder agir em conformidade, particularmente ou no quadro da assembleia municipal, onde sou deputado.

Ás vezes fazem-se criticas aos politicos por tudo e por nada, mas tantas vezes deixamos passar em claro comportamentos menos dignos de funcionários que têm o dever de zelo e de serviço público de forma correcta e educada. E quando dizemos que todos temos que ajudar a construir uma terra melhor, pode começar por aqui, - não deixando passar casos como estes, que segundo se consta, por vezes serão recorrentes.

9 comentários:

Sérgio Alves disse...

Infelizmente em 90% dos casos, esse é o pão nosso de cada dia...

Por mim, à terceira queixa justificada de um cidadão, um mau funcionário público deveria ser despedido com justa causa, e impedido de voltar ao serviço público.

É que era vê-los a trabalhar, a cumprir prazos, a entrar e a sair a horas e sempre com o objectivo de ajudar o cidadão!

Ahhh sonho utópico!!!

Anónimo disse...

Bom dia,

.....é pena mas na verdade é o País que temos...Porque é que estas situações acontecem sempre com pessoas educadas ?Infelizmente as pessoas deixaram de ser educadas humildes...Espero sinceramente que consiga ser ouvido.

Cumprimentos
M.

Anónimo disse...

o meu caro amigo devia de dizer quem era o funcionário , pois assim todos apanhamos por tabela . isto só muda com linguagem clara. é que não se pode andar todos os dias a apregoar que a coisa melhorou , quando todos sabemos , que nunca esteve tão má.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
seia.portugal disse...

Sobre este assunto tenho recebido muitas mensagens, algumas delas revelando mais casos “complicados”. Todavia e porque se trata de mensagens que chegam anonimamente, não as publico, tendo inclusivamente retirado duas, que depois de publicadas entendi que as mesmas também deviam ser assinadas.
Aqui no blogue, como já se vê cabem todas as opiniões e denúncias, mas em questões contundentes e que implicam terceiros, só são publicadas se devidamente assinadas.
Também dá para perceber que neste “assunto” há muita gente, mas mesmo muita a falar, mas sem coragem para assumir. São os dias que correm, em que mais tarde ou mais cedo precisamos de tratar de assuntos, havendo o receio da vingança deste ou daquele funcionário.
MJB

Anónimo disse...

Realmente ,mais um acidente a lamentar,eu até posso entender que passem por momentos de revolta,mas,no local de trabalho,deixam-se ...as "revoltas" na entrada!!!

Anónimo disse...

Infelizmente continua-se a acusar e enunciar situações com funcionários públicos sem que depois se concretizem essas mesmas acusações.
À bom maneira politiqueira.

Como funcionário publico que é, decerto não se reverá no papel do funcionário e saberá que nem todos são como o funcionário que descreveu e felizmente não são vulgares. Normalmente os funcionários publico são solícitos e prestáveis. Pena é que haja pessoas que já vão aos serviços públicos "com duas pedras na mão".

Quimarques disse...

Há funcionários públicos para todos os gostos.Os sempre prestáveis, os que tem dias,os que não que não sabem porque estão ali e os que o fim do mês é que conta.Todos é certo precisam de viver, mas alguns e como a zona em questão é propícia para ter pastores à que requalificar e poderá acontecer que para esta profissão muito nobre tenham mais vocação.Não deixe de publicar o resultado da sua queixa.