terça-feira, 9 de junho de 2009

aldeia da minha vida



A aldeia da minha vida é o Sabugueiro, lá no alto da serra, um sítio que lá no fundo me diz muito. Me diz tudo. É de lá que eu sou e é para lá que eu vou sempre que posso. Um lugar de onde parti mas para onde volto quase todos os dias para matar saudades dos pequenos nadas que faziam e fazem a minha felicidade. É lá que me encontro e desencontro, nesse recanto de reencontro de cores e sentimentos.
É para lá que eu volto à cata das origens, dos lugares onde fui feliz, com nada e por nada. Uma terra bela todo o ano. E não é por ser de lá que o digo, mas digo e afirmo, este é um lugar alto entregue de mansinho, às quatro estações do ano que dá gosto usufruir.

No Inverno apresenta-se de um cinzento granítico, que a paisagem emoldura, por entre verdes de giestas e castanhos da terra amanhada em courelas desenhadas no redor do casario. De vez em quando o branco da neve desce ao povoado, e no silêncio que o frio embala, eleva-se o ar forte e pesado, convidando o visitante a pernoitar num dos vários alojamentos da aldeia e a percorrer os labirintos que levam a novas descobertas, fora do asfalto.

Pintada de muitas cores todo o ano, a Serra da Estrela resplandece na Primavera, com o seu mais verde inebriante, onde mil flores florescem, por entre musgos da montanha e maias de giestas e urzes e narcisos e zimbros e sargaços e tantas outras espécies da flora serrana. Quanto alimento para um delicioso mel! E nos pastos que as encostas têm, pode ainda ver-se o gado que pascenta, do qual se faz queijo e queija, qual iguaria que vai à mesa com pão e vinho.

O Verão atrai ainda mais do que o Inverno, pelo encanto das veredas, nos caminhos que levam à descoberta, com a curiosidade sempre em riste. E há a frescura do rio, para mergulhos de felicidade e nascentes da água que brota e fontes, poços e lagos que se espraiam em rios e ribeiras. Outrora nos montes, dançavam amarelas espigas de centeio, que deram lugar a novas paisagens e atractivos deslumbramentos entrecortados por novos sons da montanha.

No Outono, no castanho das castanhas, há encantos que levam a novas descobertas. Pelos campos escarpados, em socalcos, deixamo-nos levar nos caminhos que contam histórias. Dos da transumância, como que a anunciar o Inverno; dos carreiros por onde os animais carregavam o peso das sementeiras; das levadas de regadio comunitário; das pontes e pontões e tudo o mais a descobrir.

É assim, na aldeia da minha vida, a dois passos do céu, lá no alto, nessa imensa serra, que além disso é enigmática e se veste de mil cores, para baralhar ainda mais a atenção de quem vem ver e sente vontade de voltar. É assim que a vejo e ali me revejo, a brincar no preto da terra onde se semeia o centeio ou no branco da neve onde se desliza nessa imensa encosta de felicidade, mas de onde parto também milhentas vezes com sede de cidade.


Mário Jorge Branquinho
Junho / 2009




6 comentários:

Pinhas disse...

Votem no melhor?
É o seu, sem dúvidas.

Infelizmente não tive tempo para participar, mas vou votar no seu.

Sei que é só a partir de amanhã.
Mas o voto é no seu blog, ou no da aldeia da minha vida?

Anónimo disse...

A votação funcionará da seguinte forma:
- Cada post/texto (e imagem ou imagens) terá o respectivo espaço de comentário. Os leitores, bem como os participantes irão efectuar a sua escolha deixando um comentário no respectivo post , devidamente identificado com o link do seu blogue ou site ( e para o caso de pessoas que não tenham blogue com o nome e e-mail - este não será publicado), a fim de validar a sua votação. Os comentários não identificados, não serão contabilizados.



Atenção: um comentário corresponde a um voto! Só poderá deixar um comentário. Quem fizer mais do que um comentário, apenas será considerado e publicado o primeiro que efectuou, para efeitos de contabilização de votações.




Quem desejar comentar todos os posts, faça-o nos blogues de origem ( cada postagem terá um link ao blogue original); e no caso dos textos sem blogue, faça-o neste blogue (Aldeia da Minha Vida) na postagem correspondente ao dia 9 de Junho.



A avaliação dos leitores terá um peso de 49% e a do Júri de 51% e incidirá sobre o conjunto - texto e imagens ou outro(slides, filme) originais.


O resultado da votação será publicado no Blogue da "Aldeia da Minha Vida" dia 30 de Junho.

Susana disse...

´Gostei do seu texto, demonstra o amor pela terra mais alta de Portugal!

Obrigada pelo seu contributo para esta blogagem.

Que vença o melhor!

Ps:Não sei quem comentou anteriormente mas já me poupou trabalho para lhe explicar o funcionamento das votações.

Um abraço, Susana

Mírian Mondon disse...

Que delicia te texto, sem duvida uma poesia em forma de prosa!
Belissima participação nessa blogagem parabens!

Abraços

Pinhas disse...

Atenção que para o voto ser válido, têm que escrever uma frase especifica que está no blog.

Eu já votei.

blog-do-pinhas.blogspot.com

castela (Portugal Notável) disse...

Amigo Mário
Tem aqui um belo blog.
É bom sabermos que estamos colectivamente a participar na blogagem colectiva “A Aldeia da Minha Vida” e assim a contribuir para a divulgação do nosso País.
Parabéns pelo seu texto sobre a localidade mais alta de Portugal.
A partir de agora estarei atento ao seu blog.
Um abração
Castela